segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Copacabana feliz ou não

Pelo segundo ano consecutivo passo a virada do ano em um dos lugares mais famosos do mundo. Uma queima de fogos impecável, um povo feliz e diversidade reinando sempre.
Cenário: Praia de Copacabana, Rio de Janeiro, Brasil.
Data: 31 de dezembro de 2011. 8 pessoas e um tempo chuvoso.
Estávamos todos em casa, na região da Barra da Tijuca e descemos de carro até o Leblon por volta das 18h. Paramos o carro na avenida principal e bem movimentada e pegamos um ônibus circular que nos deixou atrás do Copacabana Palace por volta das 19:30h
E daí por diante é meio previsível, chuva, andamos a toa, chuva, comemos um lanche, chuva, compramos 4 guardas-chuva, chuva, comemos mais um pouco em uma cantina italiana, chuva, calçadão, chuva, fogos, chuva, 2012, chuva, abraços, chuva, champanhe, chuva e caminhamos para tentar pegar algo que nos levássemos de volta para o Leblon.
Caminhamos entre ruas interditadas, sem sinal de taxi ou ônibus por volta de 30min. Seguindo o fluxo conseguimos encontrar A Rua com transito parado cheio de taxes e ônibus. Em meio ao transito parado achamos um ônibus no meio da avenida que ia para o nosso destino e o motorista (um amor ou não) abriu a porta (no meio da avenida!) e entramos. Por sorte o ônibus ainda estava vazio e conseguimos os 8 sentar-se.
Dali, levamos mais 1h para chegar até onde o carro estava, caminho esse que levariamos normalmente 15min no máximo, sem demais complicações.
Relatei alguns momentos tensos na volta do Reveillon de Copacabana de dentro do ônibus. Segue:

video

Fora cenas como pessoas desesperadas dando sinal e o motorista ignorando, a fila gigantesca do metrô que dava voltas no quarteirão. Entre tantos outros momentos de puro caus.

Ano passado, levei quase 1h para encontrar um ônibus que fosse possível entrar que estivesse indo na direção a Barra da Tijuca, para chegar em casa mais de duas horas, caminho que costumo fazer em 1h e um pouquinho.

Dois anos consecutivos.Um mesmo cenário. Destinos diferentes. Um mesmo e preocupante problema.
E a mídia continua a insistir para que todos desçam com o transporte publico para Copacabana, e a prefeitura da cidade continua a fechar ruas e prejudicar o transito.
Acho ótimo que as ruas sejam fechadas, isso proporciona mais segurança e conforto aos espectadores da linda festa. Acho excelente que o transporte publico esteja a disposição da população e dos turistas.
Entretanto, tudo precisa ser feito com organização e responsabilidade.
De que adianta colocar mil onibus da rua depois da meia noite se nem os motoristas sabem que rota eles devem fazer? De que adianta 500 taxes trabalhando quando o transito está parado e não há prioridade para eles? De que adianta ônibus para todos os pontos da cidade se ninguém sabe que ponto ele sai? Se o motorista não pára ao ver o sinal das pessoas?
Costumo ser bem otimista em relação a grandes eventos no Brasil e até acho que olimpíadas e copa vão ser sucesso. Os brasileiros, quando querem, fazem as coisas funcionarem. E não vou criticar isso, a minha critica vai de encontro com o grande evento que acontece todo ano na praia e que é mostrado para o Brasil todo colocando-se em contraste com o caus que acontece nas ruas perpendiculares ao show e que tv nenhuma se atreve a mostrar. Afinal de contas, Copacabana sempre é um exemplo de segurança, de organização, de paz.  Ou pelo menos é isso que o resto do mundo acha que é.

Não muito de ficar pedindo divulgação aqui, mas acredito que esse é um problema que deve se tornar publico, para que quem sabe um dia, se torne uma solução. Fique a vontade para divulgar ou não, dependendo do nível de importância que você dá ao assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário